Recent Posts

sábado, 2 de outubro de 2010

(des)conserto

os dias passam, e o que sobra é uma triste certeza que não vou mais te ouvir no final, contrariando o que dizia aquela música, que por algum tempo falou por nós, que fazia tanto sentido, que foi escolha sua, que eu nem conhecia ainda.

o que faz mais falta? difícil dizer ao certo. talvez os planos de dividir o futuro, de transformar nossas vidas mesmo, ou a companhia pra assistir tv, ir ao cinema, teatro, shows,  praças, ônibus, abraços. amor. o seu cheiro, seu beijo, as noites de domingo, as pequenas-bobagens-cotidianas, como qual cor você deveria escolher para pintar as unhas. falta você do outro lado. faltam motivos para ficar acordado até às 3 da manhã. falta vontade de levantar antes das 10h. 

simples: falta o que éramos até um dia desses.

vai passar, vai passar, vai passar, eu ouço quase todos os dias, e preciso acreditar, mas ainda dói demais.

enquanto isso tento ocupar o tempo e o espaço vazio andando por aí, nos passos que se perdem, saindo do cinema, sozinho, depois de meia-noite, assistindo filmes aleatórios, lendo qualquer coisa, trocando de canal repetidas vezes, como se de uma hora pra outra eu fosse encontrar algum sentido maior nisso tudo.

3 comentários:

Dani disse...

Posso ser mais uma? Vai passar.

Vai passar, tu sabes que vai passar. Talvez não amanhã, mas dentro de uma semana, um mês ou dois, quem sabe? O verão está ai, haverá sol quase todos os dias, e sempre resta essa coisa chamada "impulso vital". Pois esse impulso às vezes cruel, porque não permite que nenhuma dor insista por muito tempo, te empurrará quem sabe para o sol, para o mar, para uma nova estrada qualquer e, de repente, no meio de uma frase ou de um movimento te supreenderás pensando algo como "estou contente outra vez".

Eu consigo ver beleza até na sua tristeza.

Se cuida, amigo.

JeeéH disse...

é td lindo o que vc escreve.. a danny acertou qndo disse "Eu consigo ver beleza até na sua tristeza."

eu me identifico com o que vc escreve.. um beijo

Alan Salgueiro disse...

Se vão as pessoas, se elas passam e deixam suas boas marcas e cicatrizes de ausência, por outro lado ficam as belas obras, eterniza-se o momento de inspiração!