Recent Posts

sexta-feira, 18 de janeiro de 2008

Uma noite feliz [Resenha do show da Columbia] 17/01/2008

Silêncio, almofadas vermelhas espalhadas pelo chão, pessoas sentadas nas almofadas, na arquibancada, no chão sem almofada, poucos esperavam o início do show de pé.

De repente, surgem projeções de vídeos na tela, enquanto isso os integrantes da banda declamam trechos de algumas canções . Chega o tão esperado momento, e a banda sobe ao palco. Um cenário perfeito formado por caixas e isopor, esses espalhados pelo chão do palco.

O show começa, os que estavam sentados permanecem sentados, mas todos se encantam com a beleza e a doçura apresentada pela banda.

A banda estava incrivelmente animada, Fernanda cantava e sorria, a diversão estava garantida. As projeções, e um jogo de luz impecável abrilhantavam ainda mais a noite já perfeita. Canções, belas canções, entre músicas próprias e alguns covers (Yellow - Coldplay, Champagne supernova - Oasis e Santa Chuva - Maria Rita [nessa ordem]) a banda fazia a alegria dos ali presentes. Depois de certo tempo, Fernanda diz que vai começar o 'bailinho', aí sim, os que antes estavam nas confortáveis almofadas vermelhas, decidem levantar e cantar, e dançar, e gritar...

Um clima único, a união de um público totalmente interessado com uma banda completamente empolgada não poderia dar noutra coisa. Até quando o som do teclado não entrou e o microfone da Fernanda resolveu não emitir qualquer som, eles conseguiram brincar. E driblando essas pequenas adversidades, continuaram encantadores e sorridentes. A vontade que se tinha era de subir ao palco e tocar junto com eles. O show seguia de forma maravilhosa. Eu já não sabia se chorava pela enorme emoção passada nas letras ou se continuava com um imenso sorriso no rosto por presenciar um show histórico. Afinal não é todo dia que uma banda lança um CD né!

O show aparentemente acaba. Mas mesmo tendo sido perfeito, ainda não seria justo. Alguns arriscam um 'mais um'. Bruno Levinson sobe ao palco e agradece a banda e a platéia. E pra terminar, diz: “Vocês estão satisfeitos?” Surge um enorme coro "NÃO!”. Ele sorrindo, brinca: “Mais um não, mais dois”.

A banda volta e nos dá mais alguns belos minutos de um prazer inexplicável. Bom para os olhos, bom para os ouvidos, bom para o futuro da nossa música. Um show perfeito, com um início perfeito, com luzes perfeitas e um final não menos perfeito.

O show acaba (pelo menos no palco). Mas lá fora começa um outro show. Um show de simpatia. A banda distribui fotos e autógrafos, sem pressa, sem nenhum tipo de arrogância, uma gentileza rara e invejável. Uma noite feliz, onde até abraços carinhosos foram distribuídos pela vocalista. Uma grande banda, numa grande noite, num grande festival...

7 comentários:

Jonathas Iohanathan disse...

Cara, se tem um show na minha vida que eu queria ir teria sido esse.
Pena que é tão longe. Mas confesso ter me arrepiado todo lendo todas essas palavras, me senti lá.
E só de saber que eles cantaram "Yellow" do Coldplay, ixe, fico a passos de um delírio.
Abraços DAniel!

Anônimo disse...

cara, foi lindo d+ todo o show
o texto retrata bem tudo o que aconteceu
parabens

Deise disse...

Relatado por um grande escritor...
Vc passou pra nós toda a emoção do show, parecia que eu estava lá, presenciando cada momento!
Me lembrou até a primeira vez que assisti um show do DRC. Mto lindo!!
Parabéns amigo e sucesso aí!!!

Bjãoo

brunolo disse...

muito legal, dan!!
em nome da banda agradeço as palavras sensíveis.

abraço!
brunolo - columbia

Rafaella disse...

Po, deve ter sido muito legal mesmo o show...
Ficou muito bom o jeito que você escreveu...^^
Parabéns...

Bjus... =***

Tati disse...

Daniel,
Lendo sua resenha ( que alias, me remeteu ao querido RR , por transmitir uma energia boa e proporcionar a mesma leitura sutil e agradavel de seus relatos sobre os shows do DRC ) eu confesso que me deu até vontade de ter estado nesse festival que vc tão bem descreveu.

=)
beijão.

rocknoblog disse...

resenha e show,
perfeitos.